como trabalhar no exterior

Como trabalhar no exterior

Trabalhar no exterior é cada vez mais um interesse dos brasileiros que desejam fazer intercâmbio que inclua a chance ter uma forma de remuneração no destino escolhido. Para planejar essa experiência internacional, é preciso em primeiro lugar conhecer quais modalidades de intercâmbio oferecem essa alternativa, como é o caso do Work & Study e do programa de au pair.

Em seguida, o futuro intercambista deve pesquisar mais sobre quais países permitem que os viajantes estrangeiros tenham um emprego no exterior. Com base nesse conjunto de informações, já é possível iniciar o planejamento dessa empreitada única e repleta de oportunidades.

Mas antes, é importante listar alguns países que não permitem que intercambistas trabalhem durante a estadia no destino. Os mais procurados são: Estados Unidos, África do Sul, alguns países do Reino Unido, França, Itália, Portugal e Suíça.

Navegue por este artigo:

 

Modalidades de intercâmbio para trabalhar no exterior

Os estudantes que querem unir a experiência do intercâmbio, de conhecer e explorar uma nova cultura, com a chance de trabalhar no exterior, podem escolher entre várias modalidades de intercâmbio que permitem essa associação.

Estudo e trabalho

Em primeiro lugar, existe o programa de estudo e trabalho (Work & Study), no qual além de frequentar uma escola de idiomas para se aperfeiçoar na língua, os estudantes podem trabalhar em meio-período durante a época das aulas. Uma das vantagens desse programa é que ele é oferecido em vários países de língua inglesa muito procurados pelos intercambistas brasileiras. Desse modo, ele acaba sendo uma forma de tornar a viagem mais acessível ao oferecer ao estudante a chance de trabalhar enquanto estuda.

Au pair

au pair

 

Outra alternativa é o programa de au pair, que costuma ter como pré-requisito um conhecimento intermediário do idioma e uma experiência prévia com crianças. Nessa modalidade os intercambistas geralmente precisam estudar e trabalhar cuidando das crianças tendo como benefício a estadia e as refeições por conta da família contratante.

Estágio para universitários

Há ainda o programa de estágio no exterior para universitários, recém-formados e estudantes de pós-graduação, que desejam uma experiência profissional de emprego no exterior. Encontrar vagas abertas nesse caso depende da área de atuação de cada estudante. Alguns setores que costumam oferecer vagas de emprego são administração, engenharia e tecnologia, por exemplo.
Para solucionar todas as dúvidas sobre como ter um emprego no exterior ao longo de um intercâmbio, o mais indicado é também procurar um auxílio especializado nesse assunto. Nossa equipe na Optima Intercâmbio está preparada para ajudar em todo o processo, oferecendo apoio a cada etapa, inclusive na escolha de um destino que se encaixe nessas condições. Presente em países da América, Europa, África e Oceania, a Optima existe para garantir a melhor experiência de intercâmbio possível para os nossos estudantes.

 

Países que permitem que os estudantes trabalhar no exterior

Para o programa de estudo e trabalho, que é o mais procurado atualmente pelos intercambistas brasileiros que desejam aprender inglês e trabalhar nas horas vagas, a seguir estão cinco países onde é possível conseguir um emprego no exterior.

Canadá e Inglaterra

trabalhar no canada

 

No caso do Canadá, não é possível trabalhar no país apenas com uma matrícula em um curso de idiomas. Contudo, a opção de trabalho existe para quem está fazendo um curso vocacional no país reconhecido pela Career College, que incluem cursos de diversas áreas, como TI, design, marketing, administração e muitas outras. Já na Inglaterra, as regras são parecidas. É necessário que a instituição de ensino seja reconhecida pelo governo britânico, além da comprovação do nível de inglês e que o visto solicitado seja o Tier 4.

Irlanda

A Irlanda é um dos países mais buscados pelo intercambistas brasileiros que desejam trabalhar no exterior, pois permite que os alunos trabalhem em regime de meio período, ou seja 20 horas semanais durante a época das aulas, e em regime integral, 40 horas, no período de férias.

 

Você pode se interessar: Visto de Trabalho na Irlanda: as novas permissões

 

Nova Zelândia

Também com um limite de no máximo 20 horas semanais no período das aulas, na Nova Zelândia é permitindo que o estudante trabalhe full time durante break holiday como o período de Natal e Ano Novo.

Austrália

Na Austrália, solicitar o visto de trabalho para os estudantes é bem parecido com o que ocorre na Irlanda, com a diferença de que o total de horas para quem deseja trabalhar no exterior é contado de forma quinzenal ao invés de semanal. Desse modo, durante a época das aulas é possível trabalhar até 40 horas quinzenais, o que consiste no regime de meio expediente no país.

Malta

Para atrair estudantes de fora da União Europeia, Malta é outro país que oferece um regime de estudo e trabalho bastante similar ao da Irlanda, permitindo aos estudantes trabalharem por meio período durante o ano letivo. O país possui um custo de vida relativamente baixo, atrelado com uma ótima qualidade de vida. Porém, o estudante só ter permissão de trabalho 12 semanas após iniciar os estudos.

 

Leia também: Por que estudar em Malta?

 

É preciso ser fluente em inglês para encontrar um emprego no exterior?

conversa no trabalho
O nível de proficiência em inglês é um fator importante para encontrar um emprego no exterior, mas não chega a ser um pré-requisito na maior parte dos casos. Quanto melhor for a habilidade de se comunicar no idioma, maiores são as chances de conseguir uma oportunidade trabalho dinâmica e com bons rendimentos.
Os intercambistas que possuem apenas o nível básico de inglês também podem conseguir um trabalho, mas este provavelmente será fazendo algo que não exija contato com o público, além de oferecer salários mais baixos.

 

Como é a experiência de trabalhar no exterior?

experiência de trabalhar no exterior
A experiência de trabalhar no exterior é positiva em diversos aspectos, e pode agregar muito, não apenas no currículo, mas também para a vida do intercambista. Em primeiro lugar, essa é uma forma de tornar o programa de intercâmbio mais acessível, pois com os ganhos obtidos, parte do investimento será recuperado através desse emprego no exterior.

Para os adolescentes e jovens adultos, essa também é uma ótima forma de ganhar independência e mais confiança em si mesmo. Ter a chance de trabalhar no exterior, em um ambiente onde todos se comunicam em outra língua, é o tipo de experiência que traz muitos aprendizados e que jamais será esquecida.

Por último, mas não menos importante, encontrar um emprego no exterior é uma maneira de conhecer novas pessoas no destino do intercâmbio, e inclusive formar novas amizades. Dependendo do país escolhido, ter um trabalho torna possível ao estudante que quer saber mais sobre novas experiências, conhecer contatos de várias partes do mundo, descobrir mais sobre diferentes culturas e costumes até então inimagináveis, além de outros momentos únicos e memoráveis.

• • •

Não deixe de conferir: Trabalho no exterior: dicas para você encontrar

castelo medieval em dublin

Fiz muitas amizades em Dublin | Por Theo Victor Casanova

O nosso viajante Theo veio nos contar como está sendo seu intercâmbio em Dublin, na Irlanda. Sua experiência está sendo ótima! Vamos conferir?

• • •

intercâmbio em dublin

 

Que tal começar se apresentando e diga por que escolheu Dublin?

"Meu nome é Theo Victor Casanova, sou do interior de São Paulo! O meu destino foi Dublin. Escolhi ficar por aqui por 3 meses pra conseguir encaixar meus outros compromissos. Eu estava a muito tempo pesquisando diversos lugares para fazer intercâmbio, e toda vez que escolhia algum, mudava 3 dias depois de opinião. Até que um amigo meu me disse sobre Dublin, Irlanda e então, eu, muito curioso, fui pesquisar sobre essa ilha encantadora. Li muito a respeito e fiquei admirado através da internet com o que as pessoas falavam. Não foi tudo flores, mas as coisas boas se sobressaiam e foi exatamente por isso que gostei. A realidade que me contavam, que eu lia e todo o resto, dia após dia, eu até procurava pessoas no YouTube pra conseguir ver como era a realidade aqui, e acabei me apaixonando, tanto pelo clima (beeem diferente da minha cidade) quanto pela comida, pelas pessoas e até mesmo pelo curso.

 

O que lhe motivou a realizar um intercâmbio?

Eu estava buscando uma forma de tentar sair do padrão de dentro de casa, sair da rotina, queria ir pra outro lugar, mas não só sair da cidade e voltar na noite ou no dia seguinte. Queria ir pra outro país, aprimorar meu inglês, conhecer novas culturas, fazer amizades com diferentes nacionalidades e aí surgiu a ideia do intercâmbio.

 

E como a Optima lhe ajudou em todo o processo?

A primeiro instante, eu havia contactado um colega que acabou me indicando a Optima, e ele sempre dizia muito bem sobre tudo, e aí eu resolvi tentar. Fui muito bem atendido e tive muitas das minhas dúvidas esclarecidas logo de cara quando tive o primeiro contato com o pessoal da Optima! E todos os meses, dia após dia que se aproximava do tão esperado dia de estar em Dublin e de desfrutar dessa nova experiência, mais e mais dúvidas surgiam e eu perguntava absolutamente tudo para o pessoal, que de bom grado, sempre me respondia e me tranquilizava quanto a tudo.

 

Como foi seu primeiro contato com Dublin?

Bom, o primeiro dia em Dublin foi bem diferente, logo de cara quando sai do aeroporto me avisaram: não se acostume com esse sol maravilhoso que está aqui hoje! Não é normal! Mas foi muito legal a experiência, o clima diferente e todo o resto, como ruas e construções totalmente diferentes do que eu estava acostumado.

Quando cheguei na host family, me receberam incrivelmente bem, foram calorosos e sempre tentavam me entender ao máximo, mesmo no começo eu arranhando um pouquinho no inglês. Foram incríveis e o pessoal da Optima também foram incríveis, me guiando e me informando sobre tudo que eu precisava, até então.

 

E como foi sua experiência com na escola?

Bom, em Dublin eu fiz muitas amizades diferentes, é incrível pois na sala sempre há pessoas de diferentes nacionalidades, e consequentemente, fazia amizade com as pessoas sempre que dava, mesmo que algumas pessoas mudem de sala, ainda mantemos o contato e estamos sempre saindo, seja pra ver alguma atração aos finais de semana, ou a conhecer novas cidades ou até mesmo almoçar e tomar um café em algum lugar diferente de Dublin (que é o que não falta aqui!) Outra coisa muito legal também, é que a escola oferece sempre, passeios e atividades diferentes para você quebrar sua rotina e se juntar ao pessoal, o incrível também é que dentro dessas atividades, você acaba conhecendo novas pessoas e novas culturas, fazendo novas amizades e aproveitando novas experiências.

 

Qual foi seu momento mais marcante?

O momento do intercâmbio que definitivamente foi mais marcante, em minha opinião, foi conhecer as pessoas e se divertir com ela em lugares que nós nem sabíamos que existia. Estar em um lugar diferente, falando uma língua diferente, com pessoas com diferentes nacionalidades é incrível.

 

Alguma dica pra quem deseja realizar intercâmbio?

Se você precisa de um empurrãozinho pra pensar sobre isso, a minha dica é, leia bastante e até mesmo assista bastante vídeos das pessoas e suas experiências. É claro que, pode até ser assim com você, mas pense que você pode escrever sua própria experiência e seu ponto de vista, a experiência de estar vivendo e estar sentido é absolutamente incrível, a minha recomendação maior é: vá e faça!"

Theo Victor Casanova
Viajante Optima

• • •

Muito legal o depoimento do Theo, não é! Adoramos saber que seu intercâmbio está sendo um sucesso! E você, Viajante Optima, quer compartilhar sua história com o mundo? Deixa que a gente lhe ajuda! É muito simples e prático! Basta acessar nosso Guia de Depoimentos e nos enviar sua melhor história!

Leia também: Onde se fazer intercâmbio em inglês

Casal de namorados

Dia dos namorados no Brasil e no mundo

O dia dos namorados, no Brasil, é comemorado em 12 de junho, mas você sabia que somos o único lugar do mundo que celebra o amor nesta data? Nos Estados Unidos e na Europa, o dia mais romântico do ano é 14 de fevereiro, Dia de São Valentim. Conheça um pouco da razão pela qual celebramos o dia dos namorados no Brasil em junho, a história por trás das dessas datas e as tradições de Valentine’s Day em diversos países do mundo.Casal no dia dos namorados no Brasil

Por que o Brasil é diferente?

No Brasil não comemoramos o Dia de São Valentim (embora cada vez mais pessoas também festejem a data por aqui), mas o chamado Dia dos Namorados, em 12 de junho. Essa tradição vem desde 1948. A data coincide com a véspera do Dia de Santo Antônio, o famoso santo casamenteiro. A verdade, porém, é que a motivação para a escolha deste dia pouco tem a ver com as tradições religiosas, mas sim com interesses puramente comerciais.

 

A história por trás do 12 de junho – Dia dos namorados no Brasil

A ideia da comemoração do Dia dos Namorados no Brasil veio do publicitário paulista João Doria, pai do governador de São Paulo atual. Ele foi contratado para melhorar as vendas da loja Exposição Clipper, que sempre eram muito fracas em junho. Foi aí que ele teve uma sacada genial: inspirado pelo sucesso do Dia das Mães, o publicitário criou uma nova data comemorativa, o Dia dos Namorados, com o objetivo de fomentar a troca de presentes entre casais e ajudar a movimentar o comércio.

namorados

Os slogans da campanha eram “Não é só com beijos que se prova o amor!” e “Não se esqueçam: amor com amor se paga”. O sucesso foi tão grande que, já no ano seguinte, a data começou a pegar em outras regiões do país. Em pouco tempo, o Dia dos Namorados se tornou nacional. Hoje em dia, o 12 de junho é uma das melhores datas para o comércio no Brasil, perdendo apenas para o Natal e o Dia das Mães.

São Valentim e a história de muitos séculos atrás

Em diversos países do mundo, incluindo quase todos da Europa e os Estados Unidos, o dia dos namorados é comemorado em 14 de fevereiro, conhecido como o Dia de São Valentim.

A tradição remonta ao século 5, quando o dia oficial do santo foi declarado pelo papa Gelásio, no ano 496. Diversas lendas tentam explicar a história. Uma delas é a de que Valentim foi um padre condenado à morte em Roma, lá no século 3. Isso porque o imperador Claudio 2 proibiu os casamentos naquela época, porque acreditava que os soldados casados tinham pior rendimento no Exército.

Mas Valentim acreditava que o casamento era um plano divino e, assim, organizava cerimônias secretas. Quando foi descoberto por Claudio, a sentença foi implacável: prisão e pena de morte. Mas a história não termina aqui. Na prisão, Valentim se apaixonou pela filha de um carcereiro e, no dia de sua morte, escreveu uma carta de amor a ela com a assinatura “do seu Valentim”. Especula-se que foi a partir daí que surgiu a tradição, ao menos nos países de língua inglesa, de escrever cartas românticas nesta data com a assinatura “from your Valentine”.

Como são as comemorações ao redor do mundo?

Com o Dia dos Namorados chegando aqui no Brasil, as lojas ficam repletas de corações, ursinhos de pelúcia, cartões românticos e chocolates prontos para serem presenteados, mas nem todo mundo comemora a data como nós. Diferentes países demonstram o amor romântico de maneiras diversas e bastante criativas, incluindo a “cor local” na celebração. Confira alguns exemplos a seguir.

Carta nordica no dia dos namorados

Dinamarca: os nórdicos também são românticos

Neste país escandinavo, o costume de comemorar o São Valentim é relativamente recente, tendo começado em 1990. Lá, ao invés da troca de rosas vermelhas e chocolates, os casais se presenteiam com flores brancas, conhecidas em inglês como “snowdrops” (flocos de neve). Também é comum que homens escrevam para mulheres as “gaekkebrev”, uma carta anônima que consiste em poemas divertidos e rimas, escritos em um papel branco recortado.

Se a mulher conseguir adivinhar a identidade do remetente, receberá um ovo de páscoa mais tarde no mesmo ano.

Folha de louro - dia dos namorados

Inglaterra: tentar sonhar com o futuro

Uma tradição na Inglaterra é bem diferente. Na véspera do Dia de São Valentim, as mulheres têm o hábito de colocar cinco folhas de louro em seus travesseiros – uma em cada ponta e outra no meio – para que elas possam sonhar com seus futuros maridos. Outra alternativa é molhar folhas de louro com água de rosas e colocá-las sobre os travesseiros. Será que dá certo?

casamento em grupo

Filipinas: casamentos em massa

Neste país do Sudeste Asiático, as comemorações do São Valentim são similares aos países europeus, com uma diferença que dá todo o ar da graça. Por lá, é comum que em 14 de fevereiro se organizem festas de casamento em massa, espalhadas por todo o país. Milhares de casais se reúnem em shoppings ou outras áreas públicas para casar ou renovar seus votos em meio à multidão.

cadeado - dia dos namorados

Deu vontade de comemorar o São Valentim em outras partes do mundo?

Não importa se você esteja namorando, seja casado ou solteiro, o Dia dos Namorados é uma data que quase sempre desperta emoções.

Tenha a oportunidade de viver em outro país, conhecendo de perto as culturas locais e testemunhando comemorações românticas bem diferentes da nossa. Esse é apenas um dos muitos pontos positivos de se fazer um intercâmbio no exterior! Entre em contato hoje mesmo com a Optima Intercâmbio e prepare-se para viver experiências únicas em lugares incríveis!

Capital da Austrália - balão

Você sabe qual é a Capital da Austrália?

Se você é uma daquelas pessoas que respondem que a capital da Austrália é Sydney ou Melbourne, sentimos em informa-lo, mas você está errado. Na verdade, você não é o único que faz isso. Muitas pessoas, inclusive australianos, se confundem ao responder a essa pergunta. Já faz um tempo que Canberra foi nomeada como capital da Austrália. A cidade interiorana, de clima agradável, com pouca criminalidade e muita natureza é uma ótima opção para intercâmbios, justamente por não haver muitos brasileiros. Descubra o quê faz Canberra ser tão especial.

Capital da Austrália

Nem Sydney e nem Melbourne

Como mencionado inicialmente, Sydney e Melbourne são as duas cidades que vem em mente quando o assunto é a capital da Austrália. Ambas as cidades possuem grande importância no cenário nacional e internacional.

De acordo com levantamentos demográficos, Sydney é o município com o maior número de habitantes do país. Outra característica relevante é a cidade ser considerada um dos principais centros financeiros do mundo. Melbourne também está entre as cidades mais populosas da Austrália. O turismo e a economia são bastante desenvolvidos. Assim como Sydney ampliou sua visibilidade diante das Olimpíadas de 2000, Melbourne tornou-se bem conhecida por participar anualmente da Fórmula 1.

Mesmo com toda a confusão gerada ante aos grandes destaques globais, nem Sydney e nem Melbourne ocupam o posto de capital da Austrália.

Capital da Austrália - parlamento

Cidade planejada para ser capital da Austrália

Após vencer uma disputa com Sydney e Melbourne, a cidade planejada e construída para ser a capital da Austrália foi Canberra. Edificada sobre terras indígenas do povo Ngunnawal, seu nome, originado da palavra “Kamberra”, carrega o aparente significado “local de encontro”.

O projeto, iniciado em 1913 e concluído em 1927, foi assinado pelos arquitetos Marion Mahony Griffin e Walter Burley Griffin. Resultado da vitória do Concurso Internacional realizado para escolher o melhor design da nova capital do país.

As disputas políticas para saber quem ficaria com o título de cidade principal iniciou nos primeiros anos do século XIX. Em 1927, Melbourne perdeu o posto temporário de capital da Austrália para Canberra. Alguns dizem que a mudança se deu pelo fato da cidade ser longe da costa marítima, e, portanto, protegida de catástrofes ambientais.

Entre as principais cidades australianas

Com extensão superior a 805 km² e seus 450.000 habitantes, Canberra é considerada a maior cidade do interior e a oitava maior do país. A rica capital da Austrália faz parte do Australian Capital Territory – ACT. Por sua vez, o Território da Capital Australiana integra o estado de New South Wales – NSW, o mais antigo e mais povoado do país.

Canberra é circundada pelas cidades: New Castle, Wollongong, Narooma, Hunter Valley, Batemans Bay, Parramata, Campbelltown, Port Macquaire, Kempsey, Blue Mountains e Gosford. A distância entre o município e as belíssimas praias Catalina, Batehaven, Maloneys beach, Malua bay e Long beach não passa de 150 km.

A capital da Austrália está a menos de 660 km (7 horas de carro) de Melbourne e 300 km (3 horas de carro) de Sydney.

Capital da Austrália na primavera

Encanto natural de Canberra

A representatividade da capital da Austrália vai além do poder e da política. A modernidade do planejamento arquitetônico se une com a beleza ambiental natural existente em New South Wales e juntas proporcionam cenários únicos. A fama de modelo em urbanização conquistada pela capital da Austrália se deu ante ao seu encanto natural e a organização vista por toda parte.

Cerca de 70% do ACT é formado por parques nacionais e vegetação típica com animais vivendo em seus ecossistemas naturais.

Vida na capital da Austrália

Os habitantes de Canberra são muito voltados para atividades físicas como passeios de bicicleta, canoagem, golfe e paradailing. Entre todas as cidades, a capital da Austrália possui o maior número de pessoas que frequentam museus, teatro, galerias, musicais e outras atividades culturais.

Além de abrigar uma das melhores universidades do mundo, a Australian National University, no município também há muitas instituições nacionais como museus e galerias.

Aos arredores do Lago Burley Griffin é possível encontrar o centro financeiro da cidade. Além disso, lá também estão os melhores restaurantes, cafés, bares e várias atrações.

A atual capital da Austrália possui o clima temperado e bem definido em suas estações, sem apresentar grandes mudanças. Durante o tempo seco do verão, a temperatura média pode variar entre 12°C a 27°C. Já no frio inverno de Canberra, com nevoeiros e geadas, a média costuma ficar entre 3°C e 12°C, podendo alcançar 0°C nos dias mais frios.

Se locomover na capital da Austrália é bastante fácil. Além de ser uma cidade plana, favorecendo pedaladas e caminhadas, o transporte público é bem eficiente com seus ônibus e trens. A 8 km de distância do centro da cidade existe um aeroporto com conexões para todo o país.

Estudante na capital da Asutrália

Qualidade de vida em Canberra

O fato de não haver muitos brasileiros que residem no local faz com que a cidade seja uma ótima escolha para a realização de intercâmbios. Apesar de ser o centro político e histórico do país, a capital da Austrália é um dos municípios ideais para quem busca tranquilidade. Outros pontos de destaque que atraem algumas pessoas para a cidade é a boa qualidade de vida e o seu baixo custo. A limpeza, os serviços públicos satisfatórios e a pouca criminalidade também são bem observados por possíveis moradores da região. A média salarial bruta da capital da Austrália é mais alta do que a média do próprio país. Ou seja, para quem procura segurança, contato com a natureza e infraestrutura, este é o local certo.

Atrações para serem visitadas

Conheça algumas das principais atrações existentes na capital da Austrália.

História, ciência e tecnologia em Canberra

O House Parlament é um moderno complexo considerado o grande símbolo de democracia da capital da Austrália. A bela arquitetura do edifício é usada como cenário de exposições e galerias públicas.

Quem quer aprender mais sobre a história do país, pode visitar o Australian War Memorial, visto como um dos melhores museus de guerra do mundo; o National Museum of Australia, que conta com mais de 50 mil anos de itens indígenas e é palco de importantes eventos do país; e a National Library, considerada a maior biblioteca da Austrália.

Algumas outras atrações voltadas para a área de conhecimento localizadas na região da capital da Austrália são: Mount Stromlo Observatory, que permite participação em palestras e de atividades interativas; National Dinosaur Museum, com o maior acervo pré-histórico da Austrália, monitores interativos com explicações; e, Questacon – The National Science and Technology Centre, com centenas de exposições interativas e diferentes atrações de tirar o fôlego.

Arte na capital da Austrália

A National Gallery of Australia possui um acervo com 120 mil obras australianas, indígenas e asiáticas. O local também serve como palco para exposições itinerantes que passam pela capital da Austrália. Saindo um pouco dos padrões habituais, mas ainda encantando os amantes de pintura, está a National Portrait Gallery. Lá são reunidos retratos de ícones australianos e personalidades de interesse público.

Roteiro gastronômico

A região da capital da Austrália é conhecida pela qualidade de seus vinhos, isto significa que há várias vinícolas aos arredores da cidade. Uma delas é a Lerida Estate onde você pode beber um bom vinho de frente para o Lago George. O Grazing prepara elaborados pratos com ingredientes típicos e diferenciados. A poucos minutos da capital da Austrália, o Poachers Pantry oferece em seu ambiente rústico e altamente charmoso deliciosos pratos e ótimos vinhos para degustação.

O Gorman House Markets, o Old Bus Depot Market e o Hall Markets são alguns mercados onde podem ser encontrados produtos locais diferenciados.

Esporte na Capital da Austrália

Esporte e lazer na capital da Austrália

Os passeios dentro do Australian Institute of Sport são conduzidos por esportistas locais. Lá, além de conhecer o trabalho realizado pela organização, os visitantes podem assistir treinos dos melhores atletas australianos. Também é permitida a utilização de algumas das instalações disponíveis ao público, como quadras de tênis, piscina e academia.

O Lago Burley Griffin é considerado um dos lugares mais interessantes da capital da Austrália. Habitantes e turistas utilizam os 35 km de perímetro do reservatório artificial para a prática de atividades aquáticas como canoagem, windsurfe e iatismo. A capital da Austrália, de novembro a março, abre o Big Splash para os momentos de lazer em família. O parque aquático é munido com piscinas de diferentes portes, toboáguas e sessão de jogos.

Camguru

Contato com a natureza de Canberra

A Tidbinbilla Natural Reserve é um espaço destinado à preservação da vida silvestre que abriga muitas espécies de animais na capital da Austrália. Lá podem ser encontrados coalas, cangurus, patos, tartarugas e muito mais. Apesar de ser permitida a entrada de carros, a área é bastante propícia para caminhadas e piqueniques.

Entre outras opções voltadas para a natureza da capital da Austrália estão: o Australian National Botanic Gardens, com inúmeras espécies de plantas nativas e paisagem repleta de eucaliptos; e, o National Zoo & Aquarium Camberra, com animais de várias partes do mundo e diversas atrações para os visitantes.

Além de todos estes lugares imperdíveis, Canberra, a renomada capital da Austrália, proporciona diversos festivais em épocas específicas do ano. Alguns exemplos são: o Canberra Ballon Spetacular e o Floridade.

mapa austrália

Sobre a Austrália

A Austrália é um dos 14 países localizados no menor e último continente do mundo a ser descoberto, a Oceania.

Devido a sua extensão territorial, o país é chamado de ilha-continente. A separação geográfica dos demais continentes originou o desenvolvimento de uma fauna singular, onde se destacam ornitorrincos, coalas e cangurus.

Além dos quase 7.700 km² de extensão, a Austrália é administradora de ilhas que circundam seu espaço territorial. São elas: Ilhas Cocos (ou Keeling), Ilhas Cartier e Ashmore, Ilhas McDonald e Heard, Ilha Norfolk e Ilhas do Mar de Coral. O Território Antártico Australiano, território este que engloba mais de 40% do continente antártico, também está entre as terras administradas pelo país.

Apesar da predominância religiosa praticada ser o Cristianismo e o idioma mais usado ser o inglês, a Austrália é considerada uma nação multicultural. A riqueza histórica carregada pelo país é vista na variedade linguística, étnica, religiosa e cultural da sociedade moderna. Boa parte da população é formada por imigrantes vindos de diferentes lugares do mundo há vários séculos ou seus descendentes que decidiram permanecer no país.

• • •

Você pode ser interessar: Como economizar dinheiro na Austrália.

• • •

Intercâmbio na capital da Austrália

Intercâmbio de qualidade na capital da Austrália

A ilha-continente é um lugar encantador, não é mesmo?

Como você viu, a capital da Austrália é um ótimo lugar para quem deseja morar fora, seja para estudar ou trabalhar. Segurança, tranquilidade, transporte eficiente, organização e boa qualidade de vida são apenas alguns dos atributos encontrados em Canberra. Ah… o fato de haver poucos brasileiros que residem na cidade também é um fator positivo a ser considerado.

Conheça os programas de intercâmbio oferecidos pela Optima e escolha o que mais se adequar aos seus interesses.

optima-cotacao

Saiba mais sobre o assunto: Intercâmbio na Austrália

intercâmbio em Bray

Bray é uma cidadezinha bem tranquila | Por João Calazans

O nosso viajante João Calazans vai nos contar como está sendo sua experiência em Bray, na Irlanda. Ele está tendo uma ótima experiência que pode inspirar você que deseja ir para a Irlanda. Vamos conferir?

• • •

 

"Meu nome é João, sou de São Paulo, capital, e sempre trabalhei no ramo hoteleiro. Há pouco mais de 5 anos tentei ir para NY mas tive o meu visto negado. Um tempo mais tarde, conheci pessoas que me falaram muito bem da Irlanda, e que deveria dar uma chance. Como sempre se referiam a experiência com brilho no olhar, resolvi pesquisar e me apaixonei também e aqui estou, vivendo em Bray há quase 3 meses.

 

O que lhe motivou a fazer um intercâmbio?

Sempre amei a língua inglesa. Temos grande influência no nosso pais (Brasil) de artistas, músicas, séries. Eu também sempre trabalhei em grandes redes hoteleiras, o que sempre exigiu uma fluência na língua. Havia estudado durante uns anos, mas chegou um momento em que senti a necessidade de mais... Não somente pelo idioma, mas também pessoalmente. Foi por isso que resolvi deixar meu emprego, família e amigos e embarcar nessa aventura.

 

Qual foi sua percepção sobre a Optima e qual foi nosso papel no auxílio da realização do seu sonho?

Uma amiga que trabalhou comigo, que também já havia morado na Irlanda me indicou a agência. Fiz a cotação e já fechei o contrato, sem hesitações. Todo o atendimento, cuidado e preocupação dos consultores foi muito bom. Sem falar no pré embarque e recepção aqui no destino. A Karina (consultora que me recebeu), esta super disposta a ajudar seja no que for. Super indico a agência.

 

Como foi o primeiro dia na Irlanda?

Confesso que estava bem cansado, mas a recepção da Karina, assim que cheguei no aeroporto foi demais, com uma alegria contagiante. O dia estava muito lindo, ensolarado. Me disseram que não era comum durante o inverno. Fui recebido pela host family, que me preparou algo para comer e logo em seguida me direcionou para o meu quarto, onde pude descansar.

 

O que achou de Bray e das pessoas?

Bray é uma cidadezinha bem tranquila, com bastante pessoas mais velhas, o que as fazem ser bem receptivas com intercambistas. O único "desafio" é entender o que eles dizem, haha! Isso mesmo! O inglês irlandês é bem forte, totalmente diferente do Inglês americano que aprendemos no Brasil. Mas não importa, pois eu estou amando este lugar.

 

Tem alguma dica para quem está lendo?

Faça amizades. Essa será a coisa mais importante durante o intercâmbio. Amigos conhecem pessoas, que conhecem pessoas e por aí vai. Um vai sempre ajudar o outro, com dicas e soluções para problemas que já passaram. A partir destas amizades, vai encontrar empregos, festas, baladas, vai conhecer o mundo.

 

Qual momento do intercâmbio foi o mais marcante?

Todos os momentos são especiais, mas cada nova conquista vai te deixar muito mais feliz e te lembrar por que está aqui. Desembarcar no aeroporto, alugar o seu espaço, conseguir um emprego, mudar de nível na escola… E claro que nada é tão fácil e as dificuldades que passamos nos fazem crescer.

 

Que sugestão você daria para quem tem dúvidas a respeito da experiência de intercâmbio?

Tenha em mente o motivo de querer realizar o intercâmbio. Estudar e melhorar o seu inglês? Conhecer gente nova? Fazer dinheiro? Conhecer o mundo? Tirar um tempo somente para você? A partir do momento que tem isso definido em sua mente, a sua experiência de intercâmbio será um sucesso. Morar em outro país é uma experiência única, que ninguém vai tirar de você. Se tiver a oportunidade, não pense duas vezes... SÓ VAI e seja feliz!"

João Calazans
Viajante Optima

 

• • •

Muito legal o depoimento do João, não é! Adoramos saber que seu intercâmbio está sendo um sucesso! E você, Viajante Optima, quer compartilhar sua história com o mundo? Deixa que a gente lhe ajuda! É muito simples e prático! Basta acessar nosso Guia de Depoimentos e nos enviar sua melhor história!

Leia também: Onde se fazer intercâmbio em inglês

Como fazer intercâmbio em 7 passos

Como fazer intercâmbio é uma dúvida muito comum atualmente, tendo em vista a popularidade que esse tipo de viagem ganhou nos últimos anos. Mas por mais difícil que isso possa parecer, seguindo os sete passos listados a seguir, o planejamento de um intercâmbio se torna muito mais simples e descomplicado. Portando, confira abaixo que passos são esses.

Navegue por este artigo:

 

1. Escolher uma agência para seu intercâmbio de sucesso

O passo inicial é escolher uma agência confiável para cuidar de cada detalhe da viagem. As agências especializadas em intercâmbio são as melhores alternativas, pois possuem uma experiência bem maior no ramo do que as agências de viagem convencionais. Nas especializadas também é mais fácil de encontrar uma equipe de profissionais que esteja preparada para solucionar cada dúvida do futuro intercambista.

Nesse processo de escolha, é recomendável pesquisar sobre a reputação da agência, conversar com outras pessoas que já viajaram através dela e ler sobre a empresa na internet, por exemplo. Conversar com os profissionais da agência acerca de todo esse processo e de como fazer um intercâmbio também contribui para que o estudante se sinta seguro e confiante antes de fechar com a agência.

Esse é o caso da Optima, tendo em vista que somos especialistas em como fazer um intercâmbio, oferecendo programas em dezenas de destinos na Europa, nas Américas, na Oceania e na África. Nosso diferencial é oferecer experiências personalizadas aos nossos clientes, auxiliando em cada etapa do processo e nas escolhas que o intercambista precisa fazer sobre o destino da viagem, escola, acomodação e muito mais. Acreditamos que esse apoio do início ao fim é o fator capaz de tornar esse processo mais especial e único para os estudantes.

 

Veja a nossa série: Como escolher uma Agência de Intercâmbio

 

2. Definir o destino do intercâmbio

Pessoa apontando para um país em um mapa
Um bom começo para tomar a decisão sobre o destino da viagem é fazer uma lista com todos os países considerados interessantes

 

Quando paramos para pensar com mais detalhes sobre como fazer um intercâmbio, todos possuem alguns destinos dos sonhos, que são aqueles lugares que desejamos muito conhecer. Sendo assim, um bom começo para tomar a decisão sobre o destino da viagem é fazer uma lista com todos os países considerados interessantes para viver essa experiência. Se a lista ficar grande, não tem problema, pois serão mais opções possíveis para se encaixar aos outros requisitos.

A partir dessa lista de destinos favoritos, o futuro intercambista precisa considerar fatores como o clima, se prefere cidades mais frias ou quentes; o tamanho da cidade, se deseja fazer o intercâmbio em uma grande metrópole ou em um destino menor e mais tranquilo; e também as características de cada lugar, se prefere cidades com belezas naturais e atrações nesse sentido, ou os destinos modernos, com várias opções de lazer e entretenimento relacionados à tecnologia. Esse processo pode ser feito com o auxílio da agência de intercâmbio, que tem experiência em selecionar os destinos de acordo com a preferência dos estudantes.

Após considerar esse conjunto de fatores, alguns destinos certamente serão descartados. A partir de então, chega o momento de analisar os custos de um intercâmbio em cada um dos locais favoritos que permanecem na lista, e avaliar quais se encontram dentro do orçamento previsto do futuro intercambista. Nesse etapa, o know how da agência sobre como fazer um intercâmbio também é essencial para instruir o estudante e ajudá-lo a definir o destino da viagem.

 

3. Escolher a escola/instituição de ensino

A decisão sobre a escola depende diretamente das preferências de cada estudante em como fazer um intercâmbio. Cada modalidade, seja high school, graduação, pós-graduação ou para aprender outro idioma, entre outras, tem instituições de ensino específicas à disposição.

Muitos intercambistas se preocupam apenas com a escolha do destino da viagem, mas a definição sobre a escola também é uma das mais importantes no processo de como fazer um intercâmbio. Esse é o lugar em que os estudantes irão permanecer várias horas ao dia, e por conta disso, precisa ser um ambiente agradável, com um método de ensino que esteja de acordo com as expectativas do aluno.

Portanto, é importante pesquisar, ler o relato de outros estudantes que já frequentaram essa instituição de ensino e ver fotos sobre as instalações da escola antes de tomar qualquer decisão. Assim como nas outras etapas desse processo, os profissionais da agência de intercâmbio são os mais aptos a auxiliarem nessa definição, pois além de fazerem a ponte entre o aluno e a instituição do exterior, eles também podem dar dicas de como ter certeza em tomar a melhor decisão.

 

4. Considerar qual será a acomodação durante a estadia no exterior

Entre as escolhas de como fazer um intercâmbio, as duas opções mais comuns no quesito acomodação são a casa de família e o alojamento estudantil.

As casas de família costumam estar localizadas em bairros residenciais, o que significa que o intercambista pode ter que utilizar o transporte público para se deslocar até a sua instituição de ensino. As vantagens dessa alternativa de como fazer um intercâmbio incluem uma imersão completa na cultura do país escolhido, pois o estudante convive diariamente com a sua host family, além da segurança, pois todas as residências que recebem intercambistas são monitoradas de forma constante pelas escolas, além da economia, pois as principais refeições do dia podem ser feitas em casa.

As residências estudantis, por sua vez, costumam ficar mais próximas das escolas e são uma alternativa mais comum entre os intercambistas adultos. Nesse estilo de acomodação, existe a possibilidade de escolher entre quartos individuais ou compartilhados, sendo que as áreas comuns, como a cozinha, a lavanderia e sala de estar, são compartilhadas por todos os estudantes que residem naquele andar ou espaço.

grupo de pessoas em uma troca cultural durante intercâmbio
A troca cultural também acontece nesses alojamentos, desde que o mesmo receba estudantes de nacionalidades diferentes. Para isso, é importante contar com a ajuda da agência para ter certeza de que não terão somente brasileiros no local, o que poderia prejudicar a experiência desejada de como fazer um intercâmbio.

 

5. Comprar as passagens aéreas para realizar seu intercâmbio

passagens aéreas para realizar seu intercâmbio
Depois de definir o destino, a instituição de ensino e a acomodação, o próximo passo na lista de como fazer um intercâmbio é adquirir as passagens aéreas. Esse é um momento que exige atenção para comprar os bilhetes de ida e volta nas datas corretas, levando em consideração o tempo que é necessário chegar antes das aulas começarem, e também em relação a partida.

Sem a ajuda profissional, podem ocorrer erros em relação aos dias da viagem e até mesmo em relação ao destino final, ao aeroporto de chegada e situações correlatas. Um problema frequente é em relação as escalas, pois em voos com muitas paradas, além da viagem se tornar mais cansativa, podem ocorrer atrasos que resultam na perda da próxima conexão. Isso gera problemas e aborrecimentos em um momento que deveria ser apenas de alegria, e portanto é algo que precisa ser evitado no planejamento de como fazer um intercâmbio.

Recentemente, a mudança nas normas em relação a quantidade e ao peso das malas despachadas em voos internacionais também é um tema que gera dúvidas na compra da passagem. Os estudantes que farão intercâmbios longos e precisam levar duas malas despachadas precisam se atentar em comprar um voo que permita isso, pois caso contrário, a cobrança pelo excesso de peso costuma ser bem alta. Além disso, um erro comum é adquirir bilhetes de companhias low-cost, as quais oferecem os preços mais baixos, que permitem apenas a bagagem de mão, algo impensável para uma estadia de meses no exterior.

 

6. Conseguir o visto (se necessário) e os demais documentos burocráticos

Dependendo do destino escolhido, existem alguns países em que é necessário solicitar o visto ainda no Brasil, como Estados Unidos e Canadá, entre outros. O visto também precisa estar de acordo com a modalidade de intercâmbio do estudante, pois aqueles que pretendem estudar e trabalhar no exterior, por exemplo, dependendo do país em que vão viajar, podem ter que deixar isso claro já no momento da solicitação do visto.

Toda essa questão burocrática, assim como a aquisição das passagens aéreas, precisa ser feita com cuidado e atenção, pois qualquer erro é capaz de colocar tudo a perder. Por isso, essa é uma das etapas do processo em que a experiência das agências especializadas em como fazer um intercâmbio e planejá-lo, é mais bem-vinda. Contar com o auxílio de um profissional para reunir toda a documentação necessária e viajar com tranquilidade são ações que tornam o intercâmbio mais fácil e proveitoso.

 

7. Levar a quantidade certa de moeda estrangeira

Após finalizar os últimos detalhes do intercâmbio e ter os documentos já em mãos, é dado início a contagem regressiva até o dia da viagem. Essa última etapa do processo é quando a maioria dos intercambistas compra a moeda estrangeira que irá levar para se manter durante a estadia no exterior, algo de grande importância para a viagem.

Embora o dinheiro em espécie tenha uma taxa de tributação mais baixa, a escolha mais recomendável e segura são os cartões pré-pagos internacionais, que costumam estar disponíveis para dólar, euro e libra. Através deles, os intercambistas podem colocar uma recarga, no valor desejado, e utilizar o cartão durante a viagem com tranquilidade, sendo possível inclusive recuperá-lo em caso de perda, sem comprometer o dinheiro que está no cartão, pois o mesmo só funciona com senha.

pessoa segurando um cartão pré-pago internacional
O cartão multimoedas traz praticidade e segurança para suas viagens

 

Além de aceitos em milhões de estabelecimentos, o dinheiro que está no cartão também pode ser retirado de caixas eletrônicos no exterior, o que oferece uma praticidade ainda maior ao longo do intercâmbio. Porém, ao comprar a moeda estrangeira, uma dúvida comum entre os estudantes é: “quanto é preciso levar?”

Essa resposta depende de inúmeros fatores, como a modalidade de intercâmbio escolhida, o custo de vida de cada destino e a duração do curso feito no exterior, ou seja, não existe uma resposta padrão. Ao fechar o pacote de viagem com uma agência especializada, essa é uma das grandes vantagens, pois um serviço de atendimento personalizado é capaz de ajudar nos cálculos e oferecer estimativas mais precisas sobre quanto dinheiro é recomendável levar, de acordo com o seu tipo de intercâmbio.

Você pode se interessar: Como economizar no intercâmbio

• • •

Benefícios de um serviço personalizado

O planejamento de como fazer um intercâmbio é menos difícil do que parece, mas essa é uma tarefa cheia de detalhes e que exige tempo e paciência. Como essa é uma experiência muito importante para os alunos, tanto em esfera profissional como também para expandir os próprios horizontes e vislumbrar o estilo de vida em um novo país, o ideal é planejá-la de forma minuciosa e não deixar que erros por falta de prática no assunto aconteçam.

Errar na escolha de um destino que não combina com as preferências do aluno ou de uma escola que não alcance as expectativas desejadas, são questões que podem colocar essa ótima experiência a perder. Sendo assim, o serviço personalizado que oferecemos na Optima Intercâmbio existe justamente para auxiliar os estudantes a cada etapa, solucionar dúvidas, ajudar nas escolhas e garantir que tudo aconteça conforme o planejado.

 

intercâmbio em inglês

Onde se fazer intercâmbio em inglês?

Dentre os países mais procurados para se fazer intercâmbio em inglês estão a Austrália, Canadá, Inglaterra, Irlanda, Nova Zelândia, África do Sul, Malta e Estados Unidos. Saber se comunicar bem na língua inglesa é uma habilidade muito valorizada nos dias de hoje. Para isso, uma das melhores alternativas é fazer um intercâmbio com foco no inglês e aprender o idioma de forma completa e em situações do dia a dia. O melhor de tudo é que é possível fazer esse tipo de intercâmbio em vários países diferentes, cada um deles com suas próprias vantagens. Conheça a seguir as sete melhores opções.

 

Navegue por este artigo:

 

Intercâmbio em inglês na Austrália

canguru cape hillsborough australia
Cangurus no Parque Nacional Cape Hillsborough

 

Apesar da distância, a Austrália tem se tornado cada vez mais popular entre os estudantes brasileiros. Isso acontece devido ao clima agradável, os altos índices de qualidade de vida e a hospitalidade do povo australiano. Para completar, o país ainda conta com belezas naturais incríveis e uma cultura vibrante, com museus, galerias de arte e uma arquitetura moderna e inovadora.

Ao estudar na Austrália, o país é um dos que concedem permissão de trabalho aos estudantes, o que pode ser uma grande vantagem para muitos alunos. Além disso, as cidades australianas possuem um estilo de vida animado e descontraído, ideal para os brasileiros que gostam muito de sair e conhecer pessoas novas. Morar na Austrália é certamente uma ótima opção!

 

Canadá

interâmbio em ingles no Canadá
Moraine Lake, Canadá

 

Com grandes cidades como Toronto, Ottawa e Vancouver, o Canadá é o destino mais procurado entre brasileiros para um intercâmbio em inglês, tanto por suas boas instituições de ensino, como também por oferecer preços mais acessíveis. Para muitos, um dos pontos negativos do país é o seu clima, considerado rigoroso e com invernos gelados e de muita neve, mas a infraestrutura canadense é espetacular, além de ser um local seguro e tranquilo.

Ao fazer um curso de idioma no Canadá, os estudantes de intercâmbio têm a chance de conhecer pessoas de todas as partes do mundo, e descobrir que os canadenses são um povo amigável e divertido. A cultura do país, por sua vez, também é muito valorizada, havendo diversos museus, teatros e espaços culturais, especialmente nas metrópoles citadas.

 

Estudar a língua inglesa na Inglaterra

intercâmbio em inglês em Londres
Vista do Big Ben, em Londres

 

A Inglaterra é o berço da língua inglesa, e o lugar perfeito para os estudantes que querem aprender o idioma em sua versão mais nativa. Aproveitando que o país ainda faz parte da União Européia, os intercambistas que vão para lá podem usufruir da vantagem de ter acesso rápido e barato a outros países europeus, como a França e a Alemanha, o que torna esse destino um dos melhores para quem quer viajar e explorar novos lugares.

A cultura da Inglaterra também é um atrativo à parte, pois o país conta com museus, castelos e construções centenárias, que fizeram parte de momentos históricos da humanidade. Por essa razão, os estudantes que escolhem cursar o intercâmbio para aprender inglês em cidades como Londres, Oxford ou Manchester conseguem desfrutar de uma das culturas mais instigantes do mundo.

 

Irlanda

temple bar na irlanda
Temple Bar em Dublin, Irlanda

 

Assim como a Inglaterra, a Irlanda também oferece a vantagem de um acesso rápido e em conta para outros países europeus, tendo ainda o diferencial de oferecer programas de intercâmbio com preços mais baixos e acessíveis.

Entre os tipos de visto disponíveis, os intercambistas têm a chance de escolher uma modalidade que permite aos mesmos estudarem e trabalharem na Irlanda. Na época das aulas, o trabalho deve ser em meio expediente, mas nas férias pode se tornar full time. Em relação a conseguir um emprego, os estudantes também não precisam se preocupar pois o intercâmbio na Irlanda oferece várias oportunidades de trabalhar legalmente no exterior.

 

Nova Zelândia

hobbiton nova zelandia
Hobbiton em Matamata, Nova Zelândia

 

Com paisagens lindíssimas e cenários inacreditáveis, a Nova Zelândia começou a atrair a atenção dos brasileiros há alguns anos, e já se estabeleceu como o destino preferido de muitos. Cidades como Wellington e Queenstown possui ótimas escolas de idiomas, o que torna o intercâmbio para aprender inglês uma das especialidades das instituições de ensino do país.

Muito receptiva com os estrangeiros, a Nova Zelândia é um país que incentiva a vinda de pessoas de outros países, o que significa que não é difícil conseguir o visto de estudante para cursar o intercâmbio na região. Para completar, os neozelandeses são um povo animado, o que se traduz em uma vida noturna agitada, além de vários festivais e eventos interessantes ao longo do ano.

 

África do Sul

cape town africa do sul
Cape Town – Africa do Sul

 

Um destino mais exótico e diferente, a África do Sul também oferece muitas vantagens, como instituições de ensino bem preparadas e valores atrativos, quando comparados a alguns outros países. A cidade sul-africana mais procurada para o intercâmbio com foco no inglês é a Cidade do Cabo, que apesar de ser uma metrópole com influências globais, também oferece os principais elementos da cultura africana, sendo assim um local vibrante e muito divertido.

Outro aspecto positivo do país é o seu clima, que assim como o Brasil, também é agradável e ensolarado durante boa parte do ano, além de possuir lindas cidades litorâneas e uma natureza selvagem que pode ser explorada através dos famosos safáris.

 

Malta

valetta malta
Valetta, Malta

 

Destino cada vez mais buscado entre os jovens intercambistas, Malta é um arquipélago repleto de belezas naturais e uma cultura vibrante e encantadora. Os cenários locais e as ruínas históricas são tão impressionantes que já serviram inclusive como locação para produções históricas e de fantasia, como “Gladiador” e “Game of Thrones”.

Com temperaturas agradáveis durante a maior parte do ano e uma vida noturna animada, com muitos barzinhos, Malta é a escolha certa para quem procura unir diversão e aprendizado ao longo do intercâmbio.

 

Aprender inglês nos Estados Unidos

intercâmbio em inglês em nova iork
Estatua da Liberdade em Nova York

 

Por último mas não menos importante, os Estados Unidos também é uma opção muito buscada para o intercâmbio dedicado a aprender inglês. Com proporções continentais, o país possui destinos bem diferentes, capazes de atrair todos os gostos, desde uma metrópole global e capital financeira como Nova York, até um destino ensolarado e cinematográfico, como Los Angeles.

Apesar de ter um custo mais elevado, o intercâmbio nos Estados Unidos é indicado para quem aprecia a cultura norte-americana, e deseja experimentar de perto o “American way of life”. Além disso, durante o período da estadia no país, é possível viajar de forma acessível para conhecer as cidades mais interessantes e visitadas dos Estados Unidos.

• • •

Optima Intercâmbio

A nossa equipe possui experiência em oferecer programas de intercâmbio para vários países ao redor do mundo, incluindo a modalidade para estudar inglês, que é uma das nossas especialidades. Se for essa a opção mais indicada para você, nós estaremos prontos para ajudar na escolha do destino ideal, pensado de acordo com as suas expectativas e preferências.

Conheci o elenco de Supernatural! | Por Andressa Cordeiro

Hoje a Andressa veio nos contar como foi sua experiência de intercâmbio em San Diego. Vai contar sobre as viagens, amizades e a incrível e única experiência de encontrar com o elenco da série Supernatural lá em Las Vegas! Acompanhem!

Realizei o sonho de conhecer o elenco de Supernatural

“Minha experiência de intercâmbio em San Diego foi incrível! Foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida! Eu nunca irei esquecer e já quero mais! Gostei muito da escola e ela organizou vários eventos! Fomos à praia assar marshmallows na fogueira e lá tive uma experiência cultural ótima! Fiz muitas amizades com italianos, japoneses, coreanos, árabes e outras nacionalidades. Tinha brasileiros lá também, mas não impediu de forma alguma meu aprendizado. Senti que evoluí muito meu inglês apesar de ter ficado pouco tempo por lá, hoje me sinto confiante para falar inglês.

Os amigos que fiz

Gostei muito da casa que fiquei! Fiquei na residência de uma senhora americana, a Lorrie, super tranquila e simpática, junto com um estudante árabe, Dhari. Ficamos amigos e pude ir ao Sea World com Dhari e Lorrie. Foi muito divertido! Além de também ter feito amizade com algumas brasileiras que conheci na escola. Fomos para Los Angeles na calçada da fama, na placa de Hollywood, Beverly Hills e vários outros lugares.

Um sonho realizado!

Porém a viagem que mais estava esperando foi para Las Vegas, na convenção do seriado Supernatural. Foi um sonho realizado! Eu sou a fundadora de um dos maiores fã clubes de Supernatural do Brasil, além de dona de um canal do Youtube e organizadora de eventos sobre a série. Durante 15 anos da minha vida, tive o sonho de conhecer os atores e finalmente consegui realizá-lo! Estou muito feliz e realizada com minha experiência! O que posso dizer é que se você tiver uma oportunidade de fazer um intercâmbio, aproveite, pois é uma experiência única e incrível na vida”

Andressa Cordeiro
Viajante Optima

 

• • •

A Andressa é dona de um ótimo canal pra quem curte Supernatural. Não deixem de segui-la! Comentem no canal dela que a encontraram pela gente. Ela vai adorar!

A vida na Irlanda é um desafio | Por Giovanni Vieira

Nosso viajante Giovanni nos enviou seu depoimento através do nosso Guia de Depoimentos e veio nos contar como está sendo sua vida em Dublin e os desafios que ele está enfrentando! Vamos conferir?

• • •

Realizei o sonho de morar em outro país

A Vida na Europa não é um mar de rosas. Temos que vir abertos a trabalhar em serviços que nunca imaginamos que faríamos. Sou engenheiro e a quatro anos trabalhava como concursado no Brasil. Sempre gostei de estudar e ja vim com um ótimo nível de inglês para a Ilha Esmeralda. Contudo o primeiro trabalho que consegui (com certa facilidade assumo) foi de cuidador de idoso, onde permaneci por 5 meses e aprendi muitas coisas. Sem contar que o inglês evoluiu drasticamente!

 

homem em frente portão de castelo

 

No terceiro mês de Irlanda consegui o emprego em um dos Pubs mais famosos e lotados de Dublin - o DICEYS - onde foi e continua sendo um desafio. Hoje estou com 7 meses de intercâmbio, estou trabalhando apenas no Pub e prestes a renovar o curso por mais 8 meses. Estou a procura continua de melhores oportunidades.

A Optima está sempre prontidão para me ajudar

Consegui realizar o sonho de morar em outro país com a ajuda da Optima Intercâmbio, onde desde de a minha chegada até os dias atuais eles estão sempre de prontidão a te ajudar e dar o devido suporte. Me ajudaram desde as coisas básicas, como me situar em Dublin, documentação e GNIB (Visto), até a procura de casas. Estou super satisfeito de ter escolhido a Optima como minha agência!

Giovanni Vieira
Viajante Optima

• • •

Agradecemos seu depoimento, Giovanni! Estamos torcendo pra que sua experiência continue sendo incrível! E você, Viajante Optima, quer compartilhar sua história com o mundo? Deixa que a gente lhe ajuda! É muito simples e prático! Basta acessar nosso Guia de Depoimentos e nos enviar sua melhor história!

Viver na Irlanda tem sido uma experiência incrível | Por Amanda Bispo

Nossa viajante Amanda Bispo Pinheiro nos enviou esse lindo depoimento através do nosso Guia de Depoimentos e veio nos contar como tem sido sua incrível experiência em Dublin. Vamos conferir?

• • •

Poderia começar nos dizendo seu nome?

Meu nome é Amanda Bispo Pinheiro

Fale agora qual foi o seu destino, quanto tempo ficou e por que o escolheu?

Dublin, Irlanda. 8 meses. Escolhi pelas facilidades que um estudante tem aqui, é possível trabalhar e ainda tenho a chance de conhecer vários outros países da Europa.

 

Mulher com flores ao fundo

 

E que tal nos contar o que lhe motivou a fazer um intercâmbio?

Sempre sonhei em viajar o mundo, conhecer novas culturas e pessoas, e aqui estou realizando. Aprender uma nova língua é essencial nos dias de hoje e um intercâmbio ao meu ver é a melhor forma de aprender pois você vive o dia a dia imerso no idioma.

Qual foi sua percepção sobre a Optima e qual foi nosso papel no auxílio da realização do seu sonho?

Desde o momento em que decidi pelo intercâmbio a equipe da Optima esteve presente. Todas as duvidas e questões, minhas e da minha família sempre foram respondidas prontamente. Da saída do Brasil a minha chegada na ilha e estadia tem sido orientada pela Optima. As meninas Andresa e Karina sempre muito pacientes e dedicadas me ajudam sempre que preciso e em tudo.

Como foi o primeiro dia no seu destino?

Meu primeiro dia foi de novidades, a começar pelo frio, clima completamente diferente do nosso. A escola que escolhi é excelente e os professores são muito atenciosos. O que mais me chamou a atenção foi o mix de nacionalidades que tem aqui, muita gente diferente e interessante pra conhecer.

E o que você achou do local e das pessoas?

Os irlandeses são bem receptivos, alegres e todos os que conheci foram sempre gentis. A cidade é linda, com uma arquitetura bem interessante e paisagens incríveis.

Como está sendo experiência de intercâmbio?

Viver na Irlanda tem sido uma experiência incrível. Ja conheci tantas pessoas interessantes de países diferentes, experimentei comidas que nunca imaginei, fiz trabalho voluntário com crianças na páscoa, o que foi ótimo pro meu aprendizado da língua, visitei lugares belíssimos e a cada dia aprendo e descubro mais sobre esse país. Vou completar dois meses de Irlanda e ja sinto tantas mudanças em mim, no meu jeito de lidar com as pessoas, no meu modo de pensar e agir. A cabeça vai mudando e a gente amadurece um pouco a cada dia aqui, pelo menos pra mim, que nunca fiquei longe da minha família. Tudo é novo e intenso. Sei que tudo que vou viver aqui e estou vivendo vai contribuir imensamente para o que eu pretendo fazer no futuro. Ainda tenho muito a conhecer, muitos lugares pra visitar e as expectativas aumentam a cada dia.

 

mulher no temple bar na irlanda

 

E qual momento do intercâmbio foi o mais marcante?

A chegada. Ali eu percebi que meu sonho realmente estava se realizando. Uma sensação maravilhosa.

Que sugestão você daria para quem tem dúvidas a respeito da experiência de intercâmbio?

Apenas faça. A nossa vida passa é tão corrida que as vezes deixamos os sonhos pra depois, mas essa é uma experiência que você vai levar pro resto da vida, algo que vai contribuir com a sua formação profissional e pessoal.

E pra finalizar!

Estar aqui é um sonho realizado e agradeço a Deus todos os dias pela oportunidade única. Mais do que aprender outro idioma, estou aprendendo a valorizar a vida e tudo o que ela tem pra oferecer

Amanda Bispo Pinheiro
Viajante Optima

• • •

Agradecemos seu carinho, Amanda! Que bom que está adorando seu intercâmbio! Essa experiência é transformadora, não é? E você, Viajante Optima, quer compartilhar sua história com o mundo? Deixa que a gente lhe ajuda! É muito simples e prático! Basta acessar nosso Guia de Depoimentos e nos enviar sua melhor história!