Coronavírus na Irlanda: aos poucos o país é reaberto

Após quase dois meses de isolamento por causa do coronavírus na Irlanda, milhões de habitantes poderão retomar suas atividades gradualmente na Irlanda

11 min de leitura
Compartilhe: Facebook Whatsapp Twiter Linkedin

Atualizado em: 22 de maio de 2020, às 18h48 horário de Brasília

Após quase sessenta dias de lockdown por causa do coronavirus na Irlanda, aos poucos toda o país começa a reabrir seus comércios. Desde a última segunda-feira, 18 de maio, o governo irlandês liberou a primeira etapa de um plano de reabertura do país que consiste em cinco fases.

Coronavírus na Irlanda: epidemia controlada

Em uma ação mais rápida do que o vizinho, Reino Unido, a República da Irlanda conseguiu agir mais cedo e isso foi considerado um dos principais pontos a contribuírem para melhores resultados. A Irlanda apresentou até dia 21 de maio, data desta publicação, 24.506 casos confirmados, 21.060 casos recuperados e 1.592 mortes, diferente do Reino Unido, que é o quarto país no mundo com mais casos. No Reino Britânico, são mais de 254 mil casos confirmados e 36.393 mortes pelo novo coronavírus (fonte). 

As celebrações do St. Patrick's Day, a maior festa do país que aconteceria no dia 17 de março, foi cancelada. Ainda no início de março o primeiro ministro irlandês Leo Varadkar fechou escolas, universidades e creches e proibiu grandes eventos. Além disso, ele também incentivou o trabalho à distância e o distanciamento social. 

Como parte do fechamento gradual do país, o primeiro ministro da Irlanda Leo Varadkar também ordenou o fechamento de bares, pubs e comércio em geral. A polícia irlandesa saiu äs ruas para controlar a movimentação de pessoas. Quem quebrasse as normas estaria sujeito a uma multa de € 2.500. Além disso, o alto número de testes contribuiu para o controle da doença. Na Irlanda foram feitos, até a data de 22 de maio, uma média de 59.87 a cada mil habitantes (fonte). 

Medidas como essas contribuíram para que o número de casos da Ilha Esmeralda fosse muito menor do que no Reino Unido, onde o primeiro-ministro Boris Johnson não tomou ações do tipo a tempo. Elas só vieram quase duas semanas depois, em 23 de março. 

Número de casos de COVID-19 na Irlanda de 29 de fevereiro de 2020 até 21 de maio de 2020. Fonte: © Statista

Com o primeiro caso de coronavírus registrado em 29 de fevereiro, a Irlanda teve o seu pico da doença no mês de abril e, desde então, os novos casos registrados têm caído substancialmente. 

A ajuda aos estudantes internacionais

Como medida para minimizar os impactos na economia, o governo liberou uma ajuda financeira em esquema de subsídio salarial por um período de 12 semanas. Essa medida foi um esforço do governo em ajudar trabalhadores e funcionários a voltarem à atividade econômica quando as restrições fossem atenuadas. Muitos estudantes puderam e podem se inscrever para esse auxílio. 

Além disso, o governo irlandês disponibilizou - a curto prazo - o acesso de estudantes ao sistema de saúde gratuito do país e uma permissão temporária para trabalharem até 40 horas semanais. Nas palavras do primeiro ministro irlandês, os estudantes "dão uma enorme contribuição à economia irlandesa". Ele afirmou ainda que o governo deseja "garantir que se sintam bem-vindos, seguros e cuidados durante este tempo difícil". (Fonte)

Coronavírus na Irlanda: as fases de reabertura

Na primeira fase do lockdown na Irlanda, o governo orientou que todos os cidadãos permanecem em casa, com exceção somente aos trabalhadores essenciais. A população irlandesa não mediu esforços para que isso fosse possível e diversos momentos de solidariedade puderam ser vistos, como vizinhos ajudando a população mais velha que não podia sair de casa. 

Com o bom resultado do período de lockdown a Irlanda decidiu que, a partir do dia 18 de maio, iria autorizar medidas para que a população voltasse à sua vida normal. Para isso, o governo irlandês criou um plano em cinco etapas, onde permitirá que, gradualmente, os comércios, escolas e universidades retomem suas atividades. 

Houve uma fase de pré-abertura, na qual o governo ampliou a distância que as pessoas poderiam ficar a partir de suas casas. No período de lockdown era até 2km. No período de pré-abertura esse limite foi aumentado para 5km. Pessoas acima de 70 anos poderiam deixar suas casas desde que evitassem contato com outras pessoas.

Esse período de pré-abertura serviu para balizar o governo em suas decisões observando o comportamento da população. Se essas medidas não fossem seguidas, o governo poderia revogá-las. Entretanto, houve progresso na contenção do vírus e as restrições começaram a ser amenizadas com o plano de cinco etapas.

Primeira fase: a partir de 18 de maio

Nessa fase o governo irlandês permitiu que até quatro pessoas que não são da mesma família podem se encontrar ao ar livre. Trabalhadores da construção civil, jardineiros, lojas de ferragens puderam reabrir. Lojas de equipamentos elétricos, de reparos de bicicletas e de celulares também puderam retomar suas atividades, bem como oftalmologistas. 

Essa primeira fase, iniciada dia 18 de maio, também liberou a abertura de quadras de golf e tênis, lugares turísticos e comodidades públicas ao ar livre. Até quatro pessoas podem participar de atividades esportivas ao ar livre, desde que mantenham determinado distanciamento. 

As escolas e prédios de universidades também foram reabertos, mas somente para professores organizarem suas atividades e, também, para dar aulas on-line. Nesse sentido, não foi autorizada a volta às aulas normalmente. 

Segunda fase: a partir de 8 de junho

A segunda fase da reabertura após o coronavírus na Irlanda começará a partir do dia 8 de junho. Nesse momento o governo permitirá viagens de até 20km, porém as viagens desnecessárias são desaconselhadas. Também haverá a permissão de visitas às casas de outras pessoas, desde que haja, no máximo, somente quatro pessoas e por um curto período de tempo. 

A segunda fase de reabertura da Irlanda também permitirá a reabertura de pequenos pontos de venda (que possuem poucos funcionários) e pontos de vendas ao ar livre. Bibliotecas também poderão reabrir e receber leitores. Pequenos grupos de pessoas poderão praticar atividades ao ar livre. 

Terceira fase: a partir de 29 de junho

A terceira fase pós-coronavirus na Irlanda contará com a reabertura de cafés e restaurantes, desde que eles concordem em aderir às regras de distanciamento social. As creches serão reabertas apenas para os filhos de trabalhadores essenciais. Visitas em hospitais serão retomadas, desde que sigam protocolos de proteção individual.

As empresas onde funcionários têm baixos níveis de interação social poderão retomar suas atividades diárias. Pontos de venda não-essenciais serão reabertos aos poucos seguindo as medidas de proteção. Entretanto, shoppings centers deverão permanecer fechados, uma vez que as lojas não têm entrada e saída para a rua - essa é uma das regras a serem consideradas para reabrir uma loja. 

É na terceira fase, também, onde algumas atividades esportivas serão permitidas, entretanto, o transporte público continuará restrito.

Quarta fase: começará a partir de 20 de julho

As restrições da quarta fase se tornam um pouco mais flexíveis. As pessoas poderão viajar para distâncias maiores, bem como reuniões familiares em grupos acima de quatro pessoas. As reuniões sociais entre amigos também serão autorizadas, porém com restrição a número máximo de participantes - o qual ainda não foi divulgado.

Creches para todas as crianças serão reabertas por apenas um dia na semana. As empresas deverão fazer escalas de trabalho para trabalhadores presenciais. Cabeleireiros, barbearias, museus, galerias e templos religiosos poderão reabrir, bem como hotéis e outros espaços do gênero, porém com ocupação limitada. No transporte público também está prevista a redução das restrições.

Quinta fase: início em 10 de agosto

A partir desse período as atividades de trabalho poderão ser retomadas gradualmente. Shoppings centers poderão reabrir, bem como teatros e cinemas. Esportes de contato físico como rugby e boxe serão permitidos. As academias esportivas só poderão ser reabertas se seguirem regras de limpezas específicas.

A partir dessa fase também poderá haver a reabertura de bares, pubs e boates, porém deverão seguir regras de distanciamento social. Os tradicionais festivais da Irlanda também poderão ser retomados, assim como as reuniões culturais. Locais de recreação também poderão ser reabertos, como boliches, bingos e patins. 

Locais que podem apresentar alto risco ou não puderem manter o distanciamento social deverão implantar planos de distanciamento social para retornar ao funcionamento completo.

Reabertura das escolas

Ainda não há previsão, de fato, para a reabertura das escolas e universidades na Irlanda. Mas estima-se as escolas e universidades sejam reabertas entre o final de setembro e o início de outubro, após o fim da quinta fase. O governo não deu uma data exata, porém afirmou que os centros de aprendizagem só serão reabertos após o final da quinta fase de reabertura gradual pós-coronavírus na Irlanda.

Por fim, o governo irlandês solicitou às pessoas que tomassem a maior cautela com essas medidas, pois o não cumprimento poderia fazer com que esses planos mudem, especialmente se houver um aumento nos casos de coronavírus na Irlanda. 

Portanto, para aqueles estudantes que têm viagem marcada para a Irlanda, a recomendação é que remarquem-na para um período posterior a outubro ou novembro. Se possível, a melhor recomendação é deixar para embarcar em 2021.

Medidas para passageiros que chegam à Irlanda

O Ministro da Saúde, Simon Harris, confirmou nesta sexta-feira (22 de maio) que todos os passageiros que chegarem à Irlanda a partir do dia 28 de maio deverão fazer auto-isolamento por 14 dias. Essas medidas poderão permanecer em vigor pelo menos até 18 de junho, quando serão revisadas. 

Assim, o governo disponibilizará, por e-mail, um formulário de localização de passageiros. Ou seja, todo passageiro que chegar à República da Irlanda por meio de portos e aeroportos a partir de 28 de maio deverá apresentar esse formulário preenchido com o endereço onde ficará hospedado por esses 14 dias. 

Quem não cumprir as regras de auto-isolamento ou não preencher esse formulário poderá ser multado em até € 2.500.

A medida, segundo o ministro da saúde, é uma etapa adicional para proteger o cidadãos locais de casos importados de coronavírus na Irlanda. 

Por fim, reafirmamos a recomendação de deixar seu intercâmbio para um período após outubro ou novembro deste ano. Além disso, se houver disponibilidade, deixe para embarcar no início de 2021. A Optima Intercâmbio se preocupa com a saúde de seus viajantes e se coloca sempre à disposição para tirar suas possíveis dúvidas.

Compartilhe: Facebook Whatsapp Twiter Linkedin
Gostou deste artigo?
Notificação

Assine nossas notificações para se manter atualizado sobre nossas promoções!

2020 © Optima Ltda. CNPJ 12.350.272/0001-09. Empresa brasileira

Políticas de uso

e

Termos de Privacidade
Voltar ao topo