5 lugares onde estudar e trabalhar no intercâmbio

12 min de leitura
Compartilhe: Facebook Whatsapp Twiter Linkedin

Muitos quando vão escolher um destino para estudos, acabam optando por lugares onde estudar e trabalhar no intercâmbio é possível. E, ao contrário do que alguns pensam, há vários destinos incríveis que permitem essa modalidade de intercâmbio. Hoje, nós separamos 6 destinos incríveis para você aprender um novo idioma e, ao mesmo tempo, ter uma experiência de trabalho no exterior.

Vale lembrar que quanto melhor o seu nível de idioma, mais são as chances de você conseguir uma vaga mais qualificada e de acordo com sua formação acadêmica. Além disso, cada país possui suas regras específicas para o trabalho de estrangeiros.

1. Onde estudar e trabalhar no intercâmbio: Irlanda

A Irlanda é um dos principais países para quem quer estudar e trabalhar no intercâmbio. Isso porque o governo local oferece várias facilidades para estudantes que desejam passar longos períodos no país. Uma delas é a facilidade para se conseguir a permissão de trabalho apenas com um visto de estudante.

Outro fato que pesa na escolha da Irlanda para um intercâmbio de estudo e trabalho é o fato de o país oferecer salários acima da média entre os países da União Europeia. As cidades de Dublin, Limerick e Galway são as que mais oferecem vagas no país.

Como estudar e trabalhar na Irlanda

Para ter direito a trabalhar durante seu período de intercâmbio na Irlanda, o estudante deverá fazer um curso com duração superior a 25 semanas. Cursos com essa duração exigem que o aluno obtenha o visto estudantil. Esse visto dá direito de trabalho em part-time ao estudante. Dessa forma, o estudante poderá trabalhar até 20 horas por semana durante o seu período no país.

Mercado de trabalho na Irlanda

A Irlanda é um país onde as taxas de desemprego costumam ser baixas. Em fevereiro de 2020, essas taxas ficaram por volta de 4,8% de desempregados no país, um dos menores índices desde 2017.

Os maiores números de vagas disponíveis na Irlanda estão na área de tecnologia (desenvolvedores e engenheiros de software); engenheiros de automação; serviços financeiros (profissionais de risco); mercado de seguros; marketing e vendas.

Para quem não tem experiência acadêmica nas áreas citadas acima, é possível encontrar inúmeras de empregos no ramo de serviços, principalmente na área de turismo, onde o estudante poderá trabalhar em restaurantes, lanchonetes, cafeterias, bares e hotéis.

2. Canadá

O Canadá é outro dos países com maior procura entre os intercambistas. E com muita razão! Além de chamar a atenção pelas suas belezas naturais, o Canadá tem um dos maiores índices de qualidade de vida no mundo e, por ser um país bilíngue, o estudante pode ter contato com um terceiro idioma.

Não só por isso, mas também é um país com uma das taxas mais saudáveis de desemprego do continente americano, caindo mês a mês. As províncias de Ontário e Quebec lideraram as taxas de geração de emprego no último trimestre de 2019. Esse é um dos principais motivos para escolher o Canadá quando estiver procurando onde estudar e trabalhar no intercâmbio.

Como estudar e trabalhar no Canadá?

O estudante que deseja trabalhar e estudar no Canadá precisa atender alguns requisitos básicos regulamentados pelo governo do país. Assim, desde 2014, com a mudança das regras de imigração, o país não oferece o direito de trabalhar legalmente ao estrangeiro que vai fazer somente um curso de línguas (inglês ou francês).

Para ter o direito de estudar e trabalhar no Canadá, o intercambista precisa se matricular em um curso profissionalizante ou universitário em uma instituição aprovada pelo governo. A duração mínima desses cursos deve ser de 6 meses e eles dão ao estudante o direito de trabalhar por até 20 horas semanais.

Mercado de trabalho no Canadá

Por suas baixas taxas de desemprego, o país é bastante procurado por quem procura onde estudar e trabalhar no intercâmbio. No mês de fevereiro de 2020, a taxa de desemprego estava em 5,6%, uma das menores dos últimos cinco anos.

As províncias de Ontário e Quebec criaram mais de 20 mil empregos cada uma no mês de dezembro de 2019. E a maior parte das vagas preenchidas nesse período foi nos ramos de comércio, manufatura e informação e cultura e recreação. (Fonte)

Os imigrantes contribuem muito para a economia do Canadá e podem encontrar inúmeras vagas nas áreas de Tecnologia da informação (engenheiros de software, UX designers, analistas de TI), auditoria financeira e área administrativa.

Para quem não tem experiência nas áreas acima, as vagas ficam nas áreas de serviços, comércio, alimentação e indústria de turismo.

3. Onde estudar e trabalhar no intercâmbio: Austrália

Se você acha que a Austrália se destaca somente pelas praias paradisíacas, você se enganou! A Austrália é um excelente destino para quem busca onde estudar e trabalhar no intercâmbio. Isso porque o país oferece alta qualidade de vida para morar - a terra dos cangurus tem o segundo maior IDH do mundo e apresenta bastante facilidade para os estrangeiros que querem trabalhar por lá.

Além disso, quem procura a Austrália para estudar e trabalhar pode encontrar uma ampla variedade de vagas, especialmente para quem tem a intenção de fazer um curso de inglês. Assim, quem tem pouco domínio do idioma pode encontrar vagas de emprego facilmente - mas é claro que vagas melhores aparecem de acordo com um melhor nível do idioma.

Como estudar e trabalhar na Austrália

A Austrália possui um processo pouco mais burocrático do que a Irlanda para quem deseja estudar e trabalhar no país. Isso porque há uma série de exigências para estudar no país, como comprovação de renda, por exemplo.

Entretanto, para trabalhar enquanto estuda na Austrália, o aluno só precisará estar matriculado em um curso de idiomas com duração superior a 14 semanas e 15 lições semanais. Assim, é necessário se aplicar ao visto de estudante e, ao ser aprovado, ganhará o direito de trabalhar por até 40 horas quinzenais. Durante os períodos de férias, esse valor aumenta para 40 horas semanais.

Mercado de trabalho na Austrália

O mercado de trabalho da Austrália possui baixas taxas de desemprego e um alto número de vagas disponíveis, especialmente para imigrantes. No mês de fevereiro de 2020, as taxas de desemprego ficaram em 5,1% no país (Fonte).

Os melhores lugares para você conseguir um emprego na Austrália são as grandes cidades como Sydney, Melbourne, Brisbane e Perth. Nessas, o estudante poderá trabalhar em meio período em restaurantes, cafés, hotéis e pubs. Assim como outros países, quanto melhor seu nível de inglês, melhor poderá ser a vaga de trabalho.

Se você já tem alguma experiência profissional ou conhecimento técnico, o governo australiano divulga, anualmente, uma lista com as profissões em demanda no país. É o chamado General Skilled Migration Program. Dessa forma, se você se encaixa em uma das áreas profissionais divulgadas pelo programa, você terá grandes chances de conseguir um visto de trabalho.

Nesse caso, pode existir vagas em todas as áreas, indo desde a construção civil, TI, geógrafos, engenharia e até administração.

4. Nova Zelândia

Outro lugar incrível para você que procura onde estudar e trabalhar no intercâmbio é a Nova Zelândia! O estilo de vida é muito parecido com o da Austrália, então saiba que você vai encontrar um país muito desenvolvido e bastante multicultural!

Como trabalhar na Nova Zelândia

As regras para trabalho na Nova Zelândia são bem parecidas com as regras australianas. Dessa forma, é preciso realizar um curso com duração mínima de 14 semanas em uma escola reconhecida pelo New Zealand Qualifications Authority. Assim, o visto de estudante permite que o estudante estude e trabalhe por 20 horas semanais em período letivo e 40 horas semanais em épocas de férias e recessos escolares.

Mercado de trabalho na Nova Zelândia

Há uma boa quantidade de vagas de trabalho na Nova Zelândia. A economia local se mostra como muito promissora e possui muita receptividade - e incentivo por parte do governo - com os estrangeiros. Além disso, as taxas de desemprego do país estão entre uma das menores do mundo, ficando em 4% no mês de dezembro de 2019 (fonte).

As melhores cidades para você encontrar um emprego na Nova Zelândia são Wellington, a capital do país, e Auckland. Em ambas cidades há uma boa oferta de vagas e bons salários. A maioria das vagas disponíveis estão na área de saúde, engenharia e TI. Apesar disso, trabalhadores com outras habilidades podem encontrar vagas na área de construção, comércio e negócios.

Assim como a Austrália, o governo neozelandês divulga vagas que precisam de mão-de-obra no país, com o intuito de recrutar muitos trabalhadores no exterior. Por lá, esse programa é chamado de Essential Skills in Demand.

5. Onde estudar e trabalhar no intercâmbio: Espanha

Se sua intenção não é aprender inglês, saiba que a Espanha é um ótimo país para quem procura onde estudar e trabalhar no intercâmbio. O país de língua espanhola tem tudo o que um estudante brasileiro pode querer, como um clima agradável, cultura vibrante e um estilo de vida incrível, digno dos padrões europeus.

Como trabalhar na Espanha

Para trabalhar na Espanha durante o período de estudos, o aluno deve estar matriculado em um curso de espanhol com 20 aulas semanais, pelo período mínimo de seis meses. Da mesma forma, ainda no Brasil, ele deverá se aplicar para o visto de estudante. A partir disso, já na Espanha, ele deverá fazer a emissão da NIE, o documento de identidade para estrangeiro do país.

Assim, será possível que o estudante brasileiro trabalhe por até 20 horas semanais durante seu período de estudos e, durante as férias, é permitido trabalhar por até 40 horas.

Mercado de trabalho na Espanha

O mercado de trabalho na Espanha tem se mostrado promissor nos últimos anos. Quem está com dúvidas sobre onde estudar e trabalhar no intercâmbio, ao escolher a Espanha poderá encontrar vagas nas áreas de atendimento ao cliente em bares, cafés e restaurantes.

No geral, se você tiver alguma especialização, poderá encontrar vagas nas áreas de trabalho que não exigem convalidação do diploma. Ao mesmo tempo, o governo espanhol divulga frequentemente uma lista de profissões com vagas em demanda no país, chamada de Catálogo de Ocupaciones de Difícil Cobertura.

6. Onde estudar e trabalhar no intercâmbio: Malta

Se você procura onde estudar e trabalhar no exterior, talvez queira considerar Malta como seu destino de intercâmbio! A pequena ilha do mediterrâneo, além de bela, tem um ótimo custo de vida, boas escolas de idiomas e várias vagas de emprego.

Como estudar e trabalhar em Malta

Para você conciliar estudos de inglês enquanto trabalha, o governo local exige que o curso seja de duração superior a 90 dias. Por esse período, é necessário se aplicar para o visto de estudos em Malta. Com isso, você poderá trabalhar a partir desses 90 dias por até 20 horas semanais.

Mercado de trabalho em Malta

A Ilha de Malta tem uma das taxas de desemprego mais baixas da União Europeia. Em 2019 essa taxa ficou em 3.3% (fonte). O forte da economia de Malta é o mercado de turismo. Dessa forma, os estudantes intercambistas poderão encontrar vagas de atendimento ao público em estabelecimentos comerciais, bares, restaurantes e cafés.

Se interessou por algum lugar? Então, entre já em contato com a Optima Intercâmbio para que nossa equipe te ajude a realizar esse sonho de trabalhar e estudar no exterior!

Trabalho No Exterior Trabalho
Compartilhe: Facebook Whatsapp Twiter Linkedin
Gostou deste artigo?
Notificação

Assine nossas notificações para se manter atualizado sobre nossas promoções!

2020 © Optima Ltda. CNPJ 12.350.272/0001-09. Empresa brasileira

Políticas de uso

e

Termos de Privacidade
Voltar ao topo