Estudantes de ensino superior na Irlanda, agora conseguirão renovar online o registro de imigração, foi o que anunciou o Ministro da Justiça e Igualdade, Charlie Flanagan. O novo método estará acessível apenas para os estudantes que moram em Dublin e que são nativos de países fora da Europa. O sistema, de acordo com o ministro, vai beneficiar cerca de 8.000 alunos entre setembro e novembro de 2019.

As renovações online estarão disponíveis a partir no dia 26 de agosto e liberadas apenas para alunos que se registraram anteriormente no Serviço de Imigração Irlandês e que tenham completado o primeiro ano do curso. Também será necessário ter completado o registro na própria instituição de ensino.

 

pessoa usando computador online

 

No anúncio, o ministro informou que os registros online irão reduzir o tempo de espera para outros serviços que precisam ser feitos pessoalmente na imigração. De acordo com o Irish Times, o atual sistema levava a longas filas na frente do INIS (Irish Naturalisation and Immigration Service).

A data de lançamento – 26 de agosto – coincidirá com o início do ano letivo irlandês. Os estudantes que moram em outros locais fora de Dublin, deverão proceder com o registro presencialmente, como é feito atualmente. No ano de 2018, 55.000 registros para permissão foram feitos na imigração irlandesa. O número representa 40% dos registros totais. A expectativa, como anunciou o ministro Charlie Flanagan, é de facilitar as interações com imigração, tornando-as mais acessíveis e amigáveis ao usuário.

Como renovar o registro online

Para realizar o renovação, o estudante beneficiado deverá enviar sua inscrição, pagando as taxas e enviando as documentações necessárias totalmente online. Aí é só enviar o passaporte por entrega postal para o INIS e aguardar a devolução do documento carimbado com a permissão renovada, junto com a carta de autorização.

Para mais novidades no mundo do intercâmbio, siga a Optima nas redes sociais:

Instagram
Facebook
Twitter

Previous reading
A Optima foi a melhor escolha que eu pude fazer! – Por Giovana Campos
Next reading
Estudar na Austrália: Quanto custa?